Categorias
Dicas

Hospital Vera Cruz esclarece Mitos e Verdades sobre a Amamentação

Campanha Agosto Dourado reforça as ações permanentes de incentivo ao aleitamento materno desde a internação da futura mamãe

 

O Hospital Vera Cruz (HVC), que mantém em sua estrutura uma das mais renomadas maternidades da cidade de Campinas, promove a campanha Agosto Dourado, reforçando a importância da amamentação.

A equipe de Neonatologia do HVC, reconhecida pelo comprometimento do incentivo permanente ao aleitamento materno, orienta as mulheres sobre a importância desse gesto desde o momento da internação. A iniciativa ganha reforço na sala de parto, logo após o nascimento do bebê, nas primeiras horas de vida e durante todo o período que a mãe permanece no alojamento. As orientações e todo suporte para o estabelecimento da lactação iniciam-se precocemente. “Todos os profissionais ficam à disposição das famílias para esclarecer dúvidas e auxiliar mãe e bebê em todos os momentos necessários”, diz Melissa Savy, coordenadora da Maternidade e da UTI Neonatal.

“É possível vencer as dificuldades e garantir aos recém-nascidos – mesmo aqueles que se encontram sob cuidados na UTI Neonatal – o alimento que os protege contra infecções, assegurando um crescimento mais saudável e fortalecendo o vínculo mãe-filho”, afirma Dra. Michelle Marchi de Medeiros, médica neonatologista do HVC.

A seguir, a equipe de Neonatologia esclarece 10 mitos e verdades relacionados à amamentação:

O tipo de parto interfere na amamentação.

Mito. Tanto as mulheres que dão à luz por parto normal, como aquelas que fazem cesariana, têm o mesmo potencial para amamentar. A anestesia não interfere na produção do leite materno. Nos primeiros dias após o parto, com a sucção do bebê, começa a descer o colostro, a primeira secreção que sai do seio materno e antecede o leite, mas com todos os nutrientes que a criança precisa.

Estresse atrapalha a produção de leite.

Verdade. Situações de muito estresse ou tensão elevam a produção de adrenalina e bloqueiam a ocitocina, um dos hormônios que influenciam na produção do leite materno. No momento da amamentação, é recomendável ficar em um ambiente calmo, que favoreça o bem-estar da mãe e do bebê.

O leite materno pode ser fraco e não sustentar o bebê.

Mito. Não há leite materno fraco. Cada mulher produz o leite adequado para amamentar seu bebê. O fato de o alimento materno ser menos encorpado e mais claro do que o leite de vaca e fórmulas, não significa que ele não é rico em nutrientes.

O leite materno pode ser congelado.

Verdade. A mãe pode ordenhar o leite da maneira correta e congelá-lo para que seja dado ao bebê em um prazo de até 15 dias, sem que o alimento perca suas características nutricionais.

 

A alimentação da mãe reflete no leite.

Verdade. As mulheres que estão amamentado devem manter uma alimentação saudável e equilibrada. Bebidas alcoólicas e alimentos que contenham cafeína em excesso devem ser evitados.

Amamentar é fácil.

Mito. Amamentar é cansativo e exige muita paciência, principalmente no início, até que a mãe se recupere do parto e ela e a criança se adaptem ao processo, mas vale a pena!

 

Alimentos como canjica e cerveja preta aumentam a produção de leite.

Mito. Não existe comprovação científica de que a ingestão desses alimentos está relacionada ao aumento da produção de leite materno. A sucção frequente da criança é que faz aumentar a quantidade de leite produzida pela mãe.

Amamentar favorece a perda de peso da mãe.

Verdade. As mulheres que amamentam costumam perder peso com mais agilidade, pois é estimado que o corpo gaste cerca de 700 calorias todos os dias somente para produzir leite para o bebê. Mas para perder os quilos adquiridos durante a gestação, também é necessário manter uma dieta equilibrada.

A amamentação tem efeito contraceptivo.

Verdade. O próprio aleitamento é um anticoncepcional natural durante os 6 primeiros meses depois do parto, porém esta esterilidade só funciona quando o bebê se alimenta exclusivamente do leite materno. O hormônio da ocitocina liberado durante a amamentação inibe a ovulação. É um método efetivo, mas impreciso na sua duração.

As fórmulas atuais são tão boas quanto o leite materno.

Mito. O leite materno tem características únicas. As fórmulas que podem ser encontradas atualmente são produzidas, em sua maioria, a partir do leite de vaca, e apesar de nutricionalmente adequadas, não garantem aos bebês todos os benefícios do leite materno, como o aumento da imunidade.