Categorias
Post legal

Síndrome da Mulher Maravilha

5 dicas para lidar com a situação

Você se cobra para dar conta de todas as tarefas com perfeição? Cuidado: você pode estar com a Síndrome da Mulher Maravilha.

Você se sente frequentemente pressionada a desempenhar muitas tarefas (seja em casa ou no trabalho) e a dar conta delas com perfeição?  Você se sente frustrada quando não consegue dar conta de todas as atividades programadas para sua rotina? Você frequentemente sente que “faltam horas” no seu dia? Cuidado, você pode estar sofrendo da Síndrome da Mulher Maravilha.

Apesar de o nome até parecer divertido, essa síndrome pode até desencadear doenças ou distúrbios como ansiedade ou depressão.

“Tinha orgulho de dizer que era Mulher Maravilha, até o dia que a minha saúde cobrou a conta. O Brasil é o país com o maior índice de pessoas com transtorno de ansiedade no mundo, sendo que as mulheres são a maioria entre as pessoas diagnosticadas. Depressão, transtornos de ansiedade, disfunções gástricas e alergias respiratórias são algumas das reclamações que eu mais escuto. Isso sem falar de complexos, síndromes e outras questões emocionais que podem destruir a sua autoconfiança ao longo dos anos”.

Por que a Síndrome da Mulher Maravilha acontece?

“Somos cobradas por nós mesmas, pela família, pela sociedade e por qualquer pessoa que faça parte do nosso círculo de relações” .

Outra questão que nos leva a esta situação é o perfeccionismo. “Há uma necessidade muito forte de demonstração de força, capacidade de superação e vontade de acertar. Na sua essência isto é ótimo, mas estes sentimentos acabam tomando proporções que, no fundo, estão acabando com a saúde de muitas mulheres e gerando relacionamentos desequilibrados e tóxicos” .

Como lidar com esta situação?

Se você se enxerga nestes comportamentos característicos da Síndrome da Mulher Maravilha, o melhor a fazer é parar, respirar e refletir. Faça alguns questionamentos: “Pense: por que eu preciso disto? O que esta exigência traz de bom para minha vida? Como eu me sentiria não precisando provar nada para mim mesma ou para os outros?”.

1. Defina prioridades

Uma questão super importante é aprender a definir prioridades. E há várias formas de fazer isto.

Para lidar com as tarefas do dia a dia, você precisa analisar 12 pilares da vida, que são:

  1. Saúde e disposição
  2. Desenvolvimento intelectual
  3. Equilíbrio emocional
  4. Realização e propósito
  5. Recursos financeiros
  6. Contribuição Social
  7. Família
  8. Relacionamento amoroso
  9. Vida social
  10. Criatividade, hobbies e diversão
  11. Plenitude e felicidade
  12. Espiritualidade

“É muito importante que ao longo da semana ou mesmo do mês você consiga dar atenção para cada um desses pontos. Existirão fases que um aspecto vai demandar mais e está tudo bem! Contudo, se você perceber que esse desequilíbrio está durando muito tempo, é muito importante que você avalie como vem se organizando e como isso está impactando a sua vida”.

2. Aprenda a dizer não

Outra questão fundamental para lidar com a Síndrome da Mulher Maravilha é aprender a dizer não. “Isso pode parecer besteira ou mesmo algo muito difícil de dizer, mas lembre-se que a cada ‘sim’ que você está dizendo para o outro, você está abrindo mão de algo que é importante para você.

3. Avalie constantemente o que é mais importante

Avaliar o que é realmente importante também é um passo importante para as “Mulheres Maravilhas em recuperação”. “Achamos que tudo é importante, que nada pode ser deixado para depois, mas a verdade é que ninguém ‘vai morrer’, eu te garanto!”.

4. Delegue tarefas

Para quem tem a Síndrome da Mulher Maravilha, aprender a delegar tarefas também é fundamental. “Temos a tendência a sair fazendo tudo e muitas vezes esquecemos de pedir ajuda ou ficamos constrangidas, mas agora eu preciso te contar uma coisa: tem pessoas que vão amar ajudá-la e isso vai aliviar a sua vida de uma forma que você nem imagina”.

5. Invista em autoconhecimento

O autoconhecimento também é uma poderosa arma para lidar com as cobranças.

“A pessoa precisa se conhecer bem para entender quais são suas crenças e valores, quais gatilhos fazem ela centralizar tarefas ou não confiar em outras pessoas para ajudá-la. Ela precisa compreender qual o modelo mental que tem de si mesma quanto aos seus papéis, ou se está se ‘esforçando’ demasiadamente por questões de autoestima ou para atender exigências impostas pelo meio em que vive. O autoconhecimento é o segredo da tranquilidade, evita a sobreposição de papeis e a sensação de estar ‘carregando o mundo nas costas’.

Texto feito com a consulta  de Denise Camargo, psicóloga, psicopedagoga, coach e criadora dos Programas Vocacional e de Relações