Categorias
Poesia

Verdades machucam…

Só as verdades machucam. É tão real que chega a ser doloroso. Às vezes as pessoas mentem e parecem assim agradáveis. E o dia que decidem ser “reais” acabam ferindo. Me pergunto então o que as pessoas preferem. Viver num mundo de ilusões onde tudo é bom, bonito, sem falhas? Isso é ilusório, é tapar o sol com a peneira, esconder a cabeça debaixo da terra ou qualquer outra expressão que diga que as pessoas preferem ignorar aquilo que pode abrir-lhes os olhos para o mundo real. Muitos relacionamentos caminham na ilusão porque as pessoas preferem ignorar os problemas, afinal a verdade dói e nos obriga a ver o mundo de frente.
Precisamos diferenciar o sonhar com o estar fora da realidade. Precisamos reconhecer que o mundo está aó, ora feio, ora bonito, mas é o que temos pra nós e que o tempo que gastamos não recuperamos. Precisamos caminhar firme e aprender a abraçar a vida na sua inteireza. E seremos, assim, felizes.

A ilusão
© Letícia Thompson

 

A ilusão é como aquele presente que chega enrolado num papel bem bonito, às vezes tanto que nem queremos abrir por medo, talvez, justamente de saber o que vem dentro.

 

Não buscamos ser enganados cientemente, mais inconscientemente desejamos que tudo o que é feio, mal, que faz mal, que decepciona, que fere fique em algum lugar longe do nosso alcance. Fechamos então os olhos a certas coisas e preferimos viver na ilusão de que tudo vai bem. Quantas pessoas não vivem assim a vida inteira de olhos fechados?

 

O mundo não é um campo florido sem espinhos e em muitas ocasiões, particularmente ante o desconhecido, precisamos abrir nós mesmos o caminho para uma vida plena. E o que é uma vida plena? É a vida cheia da maturidade e do conhecimento do bem e do mal e a faculdade de poder fazer uma escolha.

 

O desconhecimento do mal não diminui nosso sofrimento, apenas encobre-o e dá-nos a ilusão de que tudo vai bem. É como estar doente e preferir ignorar, o tratamento não vem e menos ainda a cura ou a possibilidade dela.

 

Pessoas mentem-se porque não têm coragem o bastante para encarar a realidade, enfrentá-la e passar por cima dela. Muitos vivem de falsas felicidades, máscaras que preferem colocar diante dos outros e que somente nos momentos mais profundos de se estar consigo mesmos é que tiram e não podem impedir que as lágrimas corram. Nessas horas são verdadeiras, feridas certamente, mas vivas e reais.

 

É a maneira de encarar o mundo que diferencia os que chamamos de fracos e fortes. Os primeiros mentem-se e seguem assim e os segundos abrem essa embalagem bonita, decepcionam-se com o que encontram e se dizem que ainda assim construirão alguma coisa…

 

porque viver é experimentar a vida nos seus pormenores, provar do doce e do amargo e ter no coração a certeza de que as verdades, mesmo doloridas, nos tornam mais fortes e nos condicionam a buscar o que há de melhor em nós.

Mensagem Postada 21/2/2008